Muitos casais que pretendiam se casar em 2020, ou durante o primeiro semestre de 2021, precisaram adiar os planos por conta da pandemia de Covid-19, que impactou diretamente os eventos sociais. Em meio ao cenário de pandemia em que estamos vivendo, é normal que haja dúvidas e incertezas sobre o assunto. Afinal, é uma situação muito imprevisível.

Por isso, recebo diversas perguntas frequentes das noivas. E hoje vou responder algumas delas para vocês.

01. Fiquei noiva no meio da Pandemia. Devo começar a organizar ou deixo para depois?

Comece já!

Os melhores fornecedores têm filas e remarcações para cumprir, é importante garantir seu espaço nessa lista para que sua festa aconteça exatamente do jeito que você sonhou.

02. Qual o melhor critério para escolher meu fornecedor?

Acredite no poder da recomendação. Se te indiquei alguém, pode ter certeza que essa escolha foi feita com muito cuidado, baseada na minha experiência e na certeza de um bom resultado.

03. Por que alguns fornecedores têm preços tão distintos, chegando a ter o dobro de diferença no valor?

Dentro do valor de um profissional está inserida toda a sua expertise.

Vale a pena sempre perguntar quais são os diferenciais que constroem aquele preço.

O chocolate é importado? As flores raras? Quanto tempo de experiência ele tem no mercado?

04. É melhor adiar ou cancelar?

Não abra mão do seu sonho.

Hoje em dia, grande parte dos contratos de fornecedores têm cláusulas que preveem mudanças de data, sem que você precise pagar nada a mais por isso. Adiar e adaptar sempre vai ser melhor do que abandonar os seus planos.

05. O que posso fazer para relaxar?

Lembre-se que você já tem o melhor parceiro para atravessar esse momento de ansiedade: seu noivo, a pessoa que você escolheu para dividir a vida. Tente resolver o que está ao seu alcance: o contato com os fornecedores, sua organização financeira e as referências para a sua festa.

O importante é pensar que você não está sozinha e faremos de tudo para que o seu sonho se concretize da forma como você sonhou!

O cortejo de casamento nada mais é do que a ordem de entrada e saída dos noivos, seus pais, padrinhos e madrinhas,

daminhas e pajens na cerimônia.

Existe um protocolo para essas horas, e hoje vamos tirar todas as suas dúvidas sobre ele!

Você sabe qual é a ordem de entrada do cortejo tradicional?

Quem vai entrar primeiro?

De que lado?

Com quem?

Parece ser algo super simples, mas o cortejo precisa estar bem alinhado entre todos os participantes.

Essa parte da cerimônia pode ser adaptada a cada tipo de casal, mas existe um modelo clássico que serve de base para orientar os noivos.

Por isso, resolvemos mostrar aqui como funciona.

Foto: Pinterest

Ordem do Cortejo do Casamento

Existem diversas formas de você organizar seu cortejo, não existe nenhuma rigidez ou obrigação relacionada a essa parte da cerimônia. Os cortejos podem variar de acordo com a religião, estilo dos noivos e região que será o casamento.

Existe um protocolo de cortejo de casamento tradicional que se adapta a todas as situações e é um bom ponto de partida para os noivos modificarem conforme sua vontade.

01. Noivo + Mãe do Noivo

Ou com a pessoa que ele considera como mãe (pode ser a avó, tia, madrasta, mãe de criação).

O noivo entra no lado direito e a mãe do noivo no lado esquerdo.

Foto: Pinterest

02. Pai do Noivo + Mãe da Noiva

O pai do noivo entra no lado direito e a mãe da noiva entra no lado esquerdo.

Caso os pais sejam separados ou uma das partes não se sente à vontade para entrar dessa forma, pode-se pedir para um irmão ou algum outro parente formar o par.

Foto: Pinterest

03. Padrinhos + Madrinhas

Os homens entram do lado direito e as mulheres do lado esquerdo. A ordem de entrada do cortejo dos padrinhos é sempre feita pelo grau de parentesco com os noivos, intercalada: os casais sempre iniciando sua entrada pelo lado da noiva e seguindo pelo lado do noivo.

Foto: Pinterest

04. Daminhas e Pajens

Não é obrigatório ter damas e pajens, mas é muito fofo, né?

A ordem é feita apenas por idade.

Foto: Pinterest

05. Noiva + Pai da Noiva

Ou alguém que ela considere para entrar, irmão, tio, padrasto, pai de criação ou até mesmo sozinha.

A noiva entra de braço esquerdo com a pessoa que escolheu e na mão direita leva o buquê, ficando de lado esquerdo quando está no altar.

Foto: Pinterest

06. Entrada das Alianças

Esta ordem pode ser alterada caso a cerimônia seja dentro de uma igreja.

Existem padres que colocam as alianças para entrar antes da noiva e outros depois da entrada da noiva, no meio da cerimônia.

Foto: Pinterest

Espero que tenham gostado, foi útil para você?

Compartilhe!

Você já ouviu falar em mini-party? É um estilo de evento que vem fazendo muito sucesso.

O conceito é simples: uma festa pequena, bem íntima, mas que não deixa a desejar no quesito decoração e comida.
Não se engane pensando que, por ser um evento pequeno, a festa dará menos trabalho.

Organizar uma mini-party requer muita dedicação e planejamento, pois os detalhes acabam se destacando mais.

“Fazer uma festa pequena não significa perder qualidade. A única diferença está na lista de convidados, mas o cuidado com o espaço, a decoração e a comida deve ser igual ao de um grande evento.”

A mini-party pode ser feita em casa, no salão de festas do prédio ou em um sítio. Os espaços ao ar livre são perfeitos para esse tipo de evento, pois rendem decorações lindas com muitas luzes e flores naturais.

Se você optar por fazer em casa ou no salão do prédio, invista em uma decoração especial, como uma tenda na área interna e muitas velas e luzes.

O importante é criar um ambiente especial para encantar os convidados. “Cada pessoa deve se sentir especial ao entrar no local da festa. Será uma honra estar ali, entre tão poucos convidados”.

A mesa do bolo deve ser o local mais elaborado. Não tenha medo de usar grandes arranjos de flores e de servir uma boa variedade de doces finos. Eles darão mais sofisticação e mostrarão o quanto você investiu na festa.

Nas mesas dos convidados, prepare mimos para cada pessoa. Pode ser um chocolate sobre o prato, um docinho especial ou até mesmo a lembrancinha da festa. Se puder, personalize as caixinhas com o nome dos convidados.

A mesa de doces ou de encerramento normalmente é uma das áreas preferidas dos convidados. Capriche nas guloseimas, bolos, tortinhas e biscoitos, mas não exagere na quantidade. Lembre-se de calcular as quantidades levando em conta o número reduzido de convidados.

Para quem não quer servir um jantar tradicional, a melhor alternativa é finger food, com pratos requintados, mas que podem ser consumidos em pé, sem a necessidade de talheres.

Gostou da idéia? comenta aqui 🙂

Até mais

O que é o Making Of ?

Making Of de casamento nada mais é do que o registro de alguns momentos que antecedem a celebração.Esses momentos geralmente tem um “ritmo diferente”, podem ser repletos de suspiros de nervoso ou de silêncio, de risos e sorrisos de ansiedade e de alegria, de expectativa e de muita emoção.
Deixar de registrar esses instantes é perder a lembrança de um dia de sentimentos tão nobres e únicos.

Por que fazer o Making Of do Noivo?

  • Encontrar com os amigos e relaxar antes da troca de alianças;
  • Emoções a flor da pele;
  • Recordações dos dois momentos antes da união;
  • Ajuda a criar intimidade com as câmeras;
  • O fotógrafo cria intimidade com a família e padrinhos

Dicas para o Momento

  • Escolha um ambiente agradável;
  • Faça um set list com suas músicas favoritas;
  • Convide familiares e padrinhos para partilhar esse momento com você antes da cerimônia;
  • Não esqueça de separar terno, sapato, perfume, relógio e abotoaduras, caso tenha;
  • Fique à vontade, isso rende fotos incríveis!

Você já parou para pensar por que usamos o anel de noivado? Com certeza, a primeira resposta que vem a cabeça é: para simbolizar o compromisso. Mas você já se perguntou por que, exatamente, o anel? Como e onde surgiu a concepção de que seria ele o símbolo do amor?

Pois saiba que a resposta remonta à antiguidade, e é super interessante de conhecer e entender!

Tão antigo quanto a própria civilização

Estudos apontam que, lá pelo ano 3 mil a.C, os egípcios já usavam anéis para simbolizar a aliança entre duas pessoas — eles acreditavam que o anel, por seu formato circular, significava a eternidade. Com as invasões, greco-romanas, esse hábito foi difundido para outras civilizações.

Porém, foi na sociedade romana que o uso do anel de noivado foi determinado obrigatório. Tudo começou no ano de 860 por um decreto do Papa Nicolau I — o religioso determinou que o anel seria uma afirmação pública obrigatória das intenções dos noivos.

1477: A aliança de noivado chega à realeza

Embora essa história seja muito mais antiga, o anel de noivado, como conhecemos hoje, é mais moderno. Em 1477, tem-se o primeiro registro histórico de um anel de noivado — o Arquiduque Maximiliano da Áustria ficou noivo da Duquesa de Borgonha e deu a ela um anel cravado com pequenos pedaços de diamantes que formavam a letra “M”, inicial do seu nome. Essa simbologia tornou-se, então, um costume entre a realeza — mas, devido ao alto valor das pedras preciosas, ainda era algo inacessível ao restante da população.

Séculos XV a XVII: A era dos Anéis Posie

Muito comuns na Inglaterra e França, os Anéis Posie — ou anéis-poesia — eram anéis gravados com mensagens e/ou poemas, normalmente em sua parte externa. Os apaixonados costumavam gravar mensagem como “o amor é o bastante” e “duas almas, um coração” para demostrar todo o seu amor.

Séculos XVII e XVIII: As pedras do amor

Nesse período, os diamantes e rubis eram tidos como símbolos de amor. Por isso, foram usados constantemente em anéis de noivado, muitas vezes lapidados em forma de coração.

1886: O Diamante Solitário de Seis Garras

A marca Tiffany & Co. lança seu revolucionário Tiffany Setting: um anel de noivado com um diamante solitário com seis garras. O modelo ainda fez com que o diamante se tornasse a pedra dominante dos anéis de noivado — já que, antes, pedras coloridas como safira e rubi eram consideradas exóticas e, por isso, mais cobiçadas.

Gostou de conhecer a história do anel de noivado? Tem outras dúvidas ou sugestões? Deixe seu comentário e entre para a conversa!

O micro wedding é um estilo de casamento para até 50 convidados. Menor que o mini wedding (que é considerado um casamento para até 100 pessoas) e maior que um elopement wedding – evento para até 10 convidados. A ideia aqui é que os noivos convidem para seu casamento somente amigos e parentes muito próximos e íntimos.

Esse tipo de evento tem despontado como uma forte tendências entre os casais.

Quais as vantagens de um micro wedding?

Há poucos anos atrás o mini wedding – casamentos para até 100 convidados – caiu nas graças dos noivos. E as razões para ele ter feito tanto sucesso são as mesmas que tornam o micro wedding tão atrativo.

Conexão

Num casamento menor os noivos têm a oportunidade de desfrutar de muito mais tempo com seus convidados na recepção.

Os convidados são pessoas próximas, muito conectadas aos noivos e poderão partilhar de momentos realmente íntimos e aconchegantes com as pessoas mais queridas.

O momento se torna muito mais familiar e acolhedor.

Além disso, todos os convidados tem a oportunidade de passar mais tempo e se divertirem com os noivos.

Mais possibilidades

E quando você diminui a sua lista de convidados acaba recebendo de presente, novas possibilidades. Isso significa que você pode realizar o seu casamento em praticamente qualquer lugar: um restaurante preferido, uma praça da sua cidade, a casa da sua sogra, um barco.

Vai ser mais fácil conseguir a comida que você sonha e até disponibilizar lembrancinhas mais personalizadas e especiais para seus convidados. Já imaginou que delicadeza poder acrescentar bilhetes (ou até cartas!) escritas à mão para cada um dos seus convidados? Pequenos “luxos” que só um micro wedding pode te oferecer.

Os micro weddings são mais leves. Como seus convidados são pessoas bem íntimas e conectadas à vocês, a tendência que é tudo seja mais fácil e simples.

Você vai precisar de uma assessoria?

Sim. Tudo vai depender do tamanho do seu micro e da quantidade de tarefas e contratos que você terá que administrar. Num casamento para 50 pessoas, com recepção pense seriamente em contratar uma assessoria. 

Na grande maioria das vezes as noivas preferem usá-los com penteados presos e semi presos. Se você tem cabelo curtinho e não abre mão deste acessório, pode ficar por aqui, tem inspiração para você também!

O penteado da daminha é algo que geralmente a mãe da criança irá decidir, e não a noiva. O ideal é pensar sempre em combinar o estilo com a noiva, e da noiva de não impor seus desejos acima de de tudo.

É legal quando o look da daminha combina com o estilo do casamento.

Se o casamento é diurno e ao ar livre, uma coroa de flores cairá super bem,

Se o casamento for noturno e mais clássico, coques e penteados presos também combinam com a situação. É importante também que o penteado combine com o look de um modo geral da criança.

Vale lembrar que o tipo de cabelo (a estrutura do fio) também conta muito na hora de escolher o penteado. Ou seja, se a criança tem cabelos ondulados e fios mais grossos, certamente o penteado ficará mais “resistente”, mesmo que seja um penteado semi preso ou soltinho. Já as crianças com cabelos finos e mais lisos poderão de adaptar melhor aos penteados presos como coques e tranças. É a tal da garantia de que o penteado ficará intacto por mais tempo.

Sempre fica uma dúvida em dessas opções é a melhor para o seu dia da noiva, então confira os pontos positivos e negativos de cada uma delas.

No Salão

O grande ponto positivo de fazer o dia da noiva em um salão é que certamente o local terá estrutura para atender você. Além disso se seus planos incluem passar o dia da noiva com as madrinhas, amigas e familiares, no salão existe uma grande chance da equipe dar conta de produzir todo mundo mais ou menos ao mesmo tempo.

O lado negativo, é que dependendo do salão, talvez vocês não consigam ter privacidade, tendo que dividir o espaço também com os clientes comuns.

Por isso, antes de fechar qualquer pacote, verifique se o salão tem um espaço privativo pra vocês ficarem mais a vontade, certifique-se de que a equipe que irá atender vocês não vai dividir a agenda com os clientes ocasionais para evitar qualquer tipo de atraso.

Outra dica importante é escolher um salão que não seja tão distante do local da cerimônia. Assim qualquer intercorrência que possa acontecer pode ser amenizada com o ganho de tempo no deslocamento. Se vocês pretendem casar em chácaras ou locais mais afastados da cidade, talvez essa não seja a melhor opção.

Em Casa

Uma das maiores vantagens de se produzir em casa é o ganho de tempo com o deslocamento que você não terá. Ou seja, vale até dormir uma horinha a mais no grande dia, para acordar com a pele bem boa, e simplesmente começar o dia de pijama mesmo se você preferir.

Fazer o dia da noiva em casa, fará com que você se sinta muito mais tranquila e descansada. Isso porque você já estará ali no seu próprio “habitat”. Além disso é muito provável que sua casa esteja cheia de familiares e amigos, o que faz com que o dia fique muito mais descontraído.

No Hotel

A vantagem é principalmente em relação ao local diferente para as fotos.

O grande ponto positivo do hotel é que você tem muita privacidade e estrutura. Já o ponto negativo é que essa é a opção mais onerosa de todas, porque são dois fornecedores, o Hotel e o profissional de cabelo e maquiagem.

Além disso, dependendo do tamanho do quarto, você terá limitações para levar muita gente para se produzir com você. Por isso se a ideia é lotar seu quarto de amigas, madrinhas e familiares, estude a metragem do quarto ou flat, para ter certeza que cabe todo mundo confortavelmente ali.

O casamento é uma festa mais complexa e formal

Mesmo que sua cerimônia seja pé na areia, ou em casa, casamento é pra ser uma vez na via só. A menos que você resolva casar em pouquíssimo tempo, ou sua lista seja muitíssimo restrita, o convite impresso é uma forma de transmitir ao convidado que vocês estão dando importância para todos os detalhes da festa, planejando tudo com muito carinho e cuidado.

Você não conseguirá atingir todas as pessoas pela internet

Criar um evento nas redes sociais, ou mandar o convite pelo whats pode parecer bem prático, mas não podemos esquecer que muitos convidados poderão ter limitações de acesso a essa tecnologia toda, como nossas avós, e convidados mais velhinhos, por exemplo. Além disso, uma parcela dos convidados certamente não é tão receptiva a essa tecnologia toda, simplesmente por não gostar ou por ter uma vida muito atribulada. Dessa forma os noivos correm o risco do convite passar batido.

A forma de convidar fica mais fria

Quem já casou sabe que entregar o convite pessoalmente dá um certo trabalho, mas ao mesmo tempo é uma delícia. Geralmente as pessoas são muito calorosas e essa troca de energia é sempre muito gostosa e necessária para os noivos. Além do mais, o convidado se sente mais importante quando os noivos entregam um convite “em mãos”, ainda mais se nele tiver a tag com o nome deles.

Fica mais difícil de controlar a distribuição de senhas e convites individuais

Se você pretende fazer o controle das pessoas na festa, distribuindo convites individuais para os convidados, então o convite digital acaba não sendo muito prático. Isso porque eles  são entregues junto com o convite impresso. O mesmo acontece quando você pretende entregar minicards com a lista de presentes ou mapinhas ilustrados com a localização do casamento.

O convite é o cartão de visita do seu casamento

É através do convite impresso que o convidado vai “sentir” ou perceber uma pista do tom da sua festa. E um convite virtual não consegue transmitir isso. Pelo contrário, ele mesmo sendo bonito, ele não transmite aquela sensação de “importância” que um casamento tem que ter porque a entrega é generalizada, e não prioriza ninguém.